Hoegaarden – A Witbier

Saudações, amigos boêmios!

Vimos ontem o Salmão assado com vagens do Leozito… isso abriu meu apetite. Mas confesso que também me deu sede. Pra cada prato, uma cerveja especial. E não especial por ser uma cerveja boa, diferenciada ou qualquer coisa. É porque a cerveja complementa o prato. Aumenta sua personalidade, sua capacidade sensorial… e por conta, ainda te dá um brilho!

Por isso, vou sugerir uma clássica belga para complementar esse Salmão. Tão fácil de achar em nossos mercados e com um ótimo custo benefício. Falemos da Hoegaarden!

Produzida desde 1445, Hoegaarden é uma autêntica Witbier belga, muito popular na Europa no século XVII. Essa Cerveja passa por um processo de alta fermentação e leva ingredientes diferenciados, como sementes de coriandro (coentro) e raspas de casca de laranja. Depois é engarrafada, permanecendo em repouso por aproximadamente 3 semanas, para que ocorra a refermentação dentro da garrafa.

Bem… Esse estilo de cerveja estava extinto até que um mestre cervejeiro belga, chamado Pierre Celis, retomou a sua produção, na cidade de Hoegaarden, baseado em suas memórias de quando ele era criança e o estilo ainda era fabricado.

A partir deste renascimento, a cerveja de trigo belga ganhou notoriedade e caiu no gosto popular, transformando o estilo Witbier numa cerveja popular e de grande consumo, especialmente no verão.

As witbiers se diferenciam das weizenbiers – estilo de cervejas de trigo mais difundido, de origem alemã – por contarem com outros elementos na fabricação, além do malte, lúpulo, água e levedura (fermento). Uma outra característica é a cor. Witbier quer dizer cerveja branca no idioma flamenco. A cor vai do pálido, quase branco, ao dourado. Mas sempre turva, por não ser filtrada.

545228_512792238742305_2089531170_n

Consegue imaginar uma cozinha muito quente, de tanto fazer rabanadas para o Natal!? Alternativa criada por um Cervejeiro nato, e oportunista… aproveitar a refrescância da Hoeggarden! Até a rabanada ficou feliz. E eu…

 

Para maximizar tanto o aroma e a experiência de sabor da Hoegaarden, siga essa dica para servir: Dê preferência ao copo clássico dela, ele é largo e hexagonal. Lave-o e coloque-o no gelo para garantir que esteja perfeitamente refrigerado, no melhor estilo caneca zero grau. Quando virar a garrafa, incline o copo a um ângulo de 45 graus. Encha 2 terços do copo. Rode a garrafa para misturar e animar o fermento que pode ter ficado no fundo durante o armazenamento. Coloque o copo em posição vertical, e despeje a cerveja restantes. Ela vai criar um colarinho de boa espessura e bem cremoso.

Na Europa é comum que sejam servidas com uma fatia de limão siciliano”. Mas, convenhamos, não há necessidade.

Belga_Hoegaarden_10-09

Aí chega a hora de ser feliz… comece pelo visual! Sua cor é naturalmente turva e clara quando visto através do vidro.

No aroma de casca de laranja, limão, coentro e especiarias.

No seu sabor característico e inteiramente original: suavidade, ao mesmo tempo doce e azeda, com um sutil sabor cítrico e temperado. Quanta refrescância.

Vale realçar que é uma cerveja elegante e deliciosa, para ser consumida fresca, ainda jovem, pois não deve ser guardada por um longo período.

 

Você já conhecia a Hoegaarden? Compartilhe suas percepções aqui conosco!

Abraço!

 

Fontes:

http://blogthebeerplanet.com.br/historia/conheca-o-estilo-witbier/

http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/bar-do-celso/witbier-a-sutil-refrescancia-da-cerveja-de-trigo-belga/

Livro: Cervejas Brejas & Birras

Livro: Coleção Folha O Mundo da Cerveja – Alemanha, República Tcheca e Escandinávia

Livro: O Livro da Cerveja

 

sebeber (4)

O que achou do post?


Avatar for Thiago Marques

Engenheiro de Produção, consultor de Projetos e Processos, músico do choro e do samba no grupo Bença Vó e a frente da ONG PORQUENAORIO. No mais, é apaixonado por cultura, principalmente em Cultura Cervejeira. É um agregador de boas pessoas; um boêmio por natureza.


Os Boêmios 2016. Degustação complexa do modo simples.

Pin It on Pinterest

Share This