Cerveja – Começando do início

Boêmios, saudações! Que tal trocar algumas ideias sobre “basicão” da Cerveja? O que a compõe? Como é produzida? Tem bastante assunto…

“Ora pois”, vamos devagar. Tecnicamente, podemos dizer que a Cerveja é obtida a partir da fermentação de cereais maltados, e depois aromatizada e acrescida de sabor pela adição de flores de lúpulo.

Mas… o que é o lúpulo?

Lúpulo

O lúpulo, como já citado, é uma flor. Possui características antibióticas, que dificultam a propagação de bactérias e mantém a bebida fresca por mais tempo. Por este motivo, começou a ser usado como conservante natural na nossa fórmula. Além disso, possui um aroma floral e proporciona um amargor, característico e apreciado na Cerveja. Vai de Antártica ou de Heineken?

Usualmente, outros tipos elementos também são adicionados a fórmula, por exemplo o açúcar de cana ou o caramelo. Mas nestes casos, a fórmula não segue a lei de pureza alemã (clica aí no link para saber mais sobre essa lei).

 

Já falando sobre os cereais, vale a crítica: As cervejas mais populares têm apresentado cada vez mais adição de grãos diferentes de cevada, geralmente objetivando o barateamento da produção.

Uma recente pesquisa da USP de Piracicaba concluiu que as grandes marcas de Cerveja têm mais partes de plantas como milho, trigo e cana em sua composição. O que, de cara, nos leva a crer (e comprovar) que as Cervejas feitas em menor escala são mais puras e tradicionais. Aveia, centeio, sorgo e painço são outros exemplos de grãos utilizados na fabricação de Cervejas.

malte

Bem… continuando. Ao umedecer os cereais, obtemos o tão famoso malte, propiciando que os grãos sejam germinados. A semente umedecida, ativa enzimas que transformam o amido em açúcares e aminoácidos (que permitem a germinação e a reprodução da planta). Quando o grão já possui açúcares, porém antes de virar um broto, ele é ressecado novamente. Este é o presente do Mestre Cervejeiro, o Malte, prontinho para virar Cerveja.

Não podemos esquecer da água, componente essencial uma produção de qualidade. E não vou colocar foto de água aqui.

Hoje, os avançados processos de purificação da água permitem, sem altos custos ou dificuldades técnicas, dessalinizar e desmineralizar, deixando-a pura e perfeita para a elaboração das melhores cervejas.

 

954801_186601321506192_1345445381_n

 

E é isso. Algumas escolas têm maior “criatividade” em suas características (sempre destaco a escola belga), outras são mais tradicionais (vale citar a alemã)… Mas na real, Boêmio, o que vale é Degustar e achar a Cerveja que mais combina com o seu momento!

O que achou do post?


Avatar for Thiago Marques

Engenheiro de Produção, consultor de Projetos e Processos, músico do choro e do samba no grupo Bença Vó e a frente da ONG PORQUENAORIO. No mais, é apaixonado por cultura, principalmente em Cultura Cervejeira. É um agregador de boas pessoas; um boêmio por natureza.


Os Boêmios 2016. Degustação complexa do modo simples.

Pin It on Pinterest

Share This