Barriga de Chop

Saudações Boêmios!

Após uma semana de muita aventura, em plena e ativa comemoração de aniversário, percebi uma mera aglomeração de peso… Panchop! Me perguntei o porquê, uma vez que CERVEJA NÃO ENGORDA.

Claro que a cerveja não engorda. Assim como pizza, picanha e bolo de chocolate não engordam. Quem engorda somos nós, sem noção, que não respeitamos o conceito mais importante da vida: MODERAÇÃO.

Grande parte dos estudos publicados que abordam esse tema, relacionando-o com obesidade, pecam em um ponto: só conhecem as “Pilsens” (na verdade, as populares Standart Lager). Faz até algum sentido por ser o estilo mais popular do mundo, mas há de se considerar 120 estilos catalogados e suas variações alcoolicas – que podem ir de 0 a 14% ABV. Digo isso pois aquele conceito de “beber 2 copos de cervejas por dia” cai por terra – E se eu quiser beber duas taças de uma Red Ale???

Outro ponto é que a cerveja não contém gordura; o valor calórico geralmente é menor do que um copo de suco de laranja, além de ser menor do que quase todas as outras bebidas alcoólicas. Vinho, Whisky… E seus bebedores não são associados ao barrigão.

*Eu ia dizer que é menor do que um copo de leite também, mas eu “nunca fiz amigo bebendo leite”.

Desmistificando a pança, estudiosos alemães do Instituto de Nutrição Humana Potsdam-Rehbrucke e da Universidade de Ciências Aplicadas Fulda (tinham que ser alemães…), em parceria com a Universidade de Gotemburgo, na Suécia, concluíram que estudaram os resultados dos hábitos etílicos de 20 mil pessoas durante 8 anos. A conclusão diz que o padrão de acúmulo de gordura em determinada região do corpo é mais ligado a fatores genéticos do que a bebida.

Será-que-a-cerveja-engorda

Aquele slogan da “Cerveja que não estufa” também cai por terra. Se você caiu nessa…

A cerveja é fonte de alimento e assim era utilizada nos tempos passados. Sabe-se de suas propriedades nutricionais (glicídios, etanol e proteínas), trazendo-lhe vitaminas, sais minerais, fibras e componentes fenólicos… relaxa, parei por aqui. Mas digo que pode prevenir diabetes, doença coronária, acidentes cardiovasculares, anemia entre muitas outras coisas boas.

Como você já ouviu, a potencialização do “panchops” vem com os acompanhamentos. Ótimos, por sinal. Temos um Boêmio bom nisso, né Leozito!? Torresmo, tremoços…

Só não vou falar de batata fritas, pois essas eu nunca peço. Batata frita com cerveja me dá sensação de “estufa”!

A grande verdade é que “tudo que é muito é demais. Peço: me perdoe a redundância. Entrelinhas só quero te lembrar que a terra fértil um dia se cansa. É uma questão de esperar… Relógio que atrasa, adianta. E o remédio que cura também pode matar, como água demais mata planta.” Essa é a minha filosofia. Para saudar o dia, um pouco de música pra gente!

Corte a palavra excesso… Mas além do excesso de cerveja, o excesso de cachaça, vinho, whisky, vodka, comida, jogo, puuuurrinha.

Apresentamos aqui nos Boêmios diversas indicações de bons rótulos e fazemos um apanhado de informações sobre diferentes estilos. E sempre seguindo um conceito. Entenda que quando falamos de cerveja, e principalmente de cerveja boa, vale a máxima:

283591_247949591893239_6947747_n

O que achou do post?

Inscreva-se e não perca nenhum post!

Coloque aqui o seu e-mail e seja um dos primeiro a receber nossas publicações e promoções.

Parabéns, agora falta mais uma etapa, confirme seu e-mail clicando no link que enviamos para você agora!



Avatar for Thiago Marques

Engenheiro de Produção, consultor de Projetos e Processos, músico do choro e do samba no grupo Bença Vó e a frente da ONG PORQUENAORIO. No mais, é apaixonado por cultura, principalmente em Cultura Cervejeira. É um agregador de boas pessoas; um boêmio por natureza.


Os Boêmios 2016. Degustação complexa do modo simples.

Pin It on Pinterest

Share This